Mostra de Eustáquio Neves no Sesc Ipiranga aborda escravidão e seus ecos

Entre as ações que marcam o Bicentenário da Independência do Brasil está a mostra de Eustáquio Neves no Sesc Ipiranga, que entra em cartaz no dia 6 de setembro. A retrospectiva do artista mineiro descendente de pessoas negras escravizadas atravessa quase 40 anos de produção e carrega em si uma história extensa de diásporas e resistências.

A exposição “Outros Navios: Fotografias de Eustáquio Neves” traz cópias de filmes fotográficos, negativos, acetatos, matrizes, esboços, estudos de paleta de cor e texturas utilizados nos experimentos do artista no laboratório analógico de seu ateliê.

Suas investigações incluem ainda desenhos, grafias, carimbos, recortes de documentos, jornais, colagens, entre outros. “A fotografia experimental no Brasil converge para a obra de Eustáquio Neves. Ele é um dos pioneiros em criar imbricações de linguagens da fotografia com pintura, textos e abrasões que visam gerar metáforas visuais sobre como as histórias oficiais são geradas em camadas simbólicas. Em seu laboratório, ele descama verdades impostas e nos revela labirintos por meio dos quais pontos de vistas sorrateiramente apagados vêm à tona”, comenta o curador, Eder Chiodetto.

A mostra está subdividida em três salas, e obras pontuais distribuídas pela unidade do Sesc Ipiranga. “É um trabalho que capta e manipula imagens ligadas às relações étnico-raciais promovidas no passado e no presente, como a violência contra os corpos, a intolerância contra os ritos e a privação de direitos da população negra”, destaca Chiodetto.

Na sala 1, encontram-se séries que aludem às violências e silenciamentos perpetrados contra pessoas escravizadas. Na sala 2, localizam-se séries que tematizam a resistência por meio de saberes ancestrais e rituais afro-brasileiros, bem como exibição de suportes diversos utilizados por Eustáquio Neves em seu processo de criação. Por fim, a sala 3 exibe uma videoinstalação, criada a partir do material bruto de três vídeos do artista Post No Bill (Nigéria, 2009 – 2022); Bariga (Nigéria, 2009 – 2022) e Crispim: Encomendador de Almas, (Brasil, 2006 – 2022).

A efeméride dos 200 anos da Independência do Brasil refletida sob a ótica da produção artística de Eustáquio Neves joga luz sobre injustiças e conquistas, silenciamentos e a pluralidade de expressões, muitas vezes apagadas na perspectiva oficial da história do Brasil.

A mostra “Outros navios: fotografias de Eustáquio Neves” integra a programação do projeto “Diversos 22: Projetos, Memórias, Conexões”, desenvolvida pelo Sesc São Paulo, com ações que propõe reflexões sobre Centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e o Bicentenário da Independência do Brasil em 1822.

Quem é Eustáquio

José Eustáquio Neves de Paula (Juatuba, MG, 1955), é fotógrafo e artista visual. Constrói suas obras por meio de processos de experimentação com a linguagem da fotografia, utilizando camadas de sobreposições de imagens e procedimentos químicos. Suas narrativas discutem a sociedade e o lugar histórico da população negra como protagonista de suas práticas culturais, conferindo ao artista destaque dentro e fora do país.

Desde os anos 1980, Eustáquio segue construindo uma obra de forte impacto por meio de suas experimentações na fotografia analógica, utilizando conhecimentos adquiridos na sua formação como técnico em Química Industrial.

Suas séries elaboradas a partir da junção de camadas pictóricas de forte simbolismo, discutem o lugar histórico da população negra, os ecos da escravidão que se perpetuam e se desdobram no racismo estrutural intrínseco à sociedade brasileira. “Sua obra também reverencia as práticas culturais e ancestrais dos afrodescendentes, por vezes, permeadas pelo sincretismo religioso, que resistiram no tempo, apesar das tentativas históricas de apagamento”, complementa Chiodetto.

Eustáquio Neves segue sua produção discutindo a diáspora negra no Brasil, enquanto rememora e recria as histórias dessa descendência africana com base em aspectos que constituem seu cotidiano, enfatizando o Brasil como o país que tem a maior população negra fora da África, e no qual o racismo estrutural é realidade. 

Vai lá!

Exposição: Outros Navios: Fotografias de Eustáquio Neves.

Sesc Ipiranga: Rua Bom Pastor, 822, Ipiranga, São Paulo – 04203-001

Abertura: Terça-feira, dia 6 de setembro. às 16h30.

Visitação: Quarta-feira, dia 7 de setembro até 26 de fevereiro de 2023. 

Horários: Terça a sexta, das 9h às 21h30. Sábado, das 10h às 21h30. Domingo e feriado, das 10h às 18h.

Written by

Ipiranga Feelings

One thought on “Mostra de Eustáquio Neves no Sesc Ipiranga aborda escravidão e seus ecos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Podcast faz recorte racial da história do Brasil 8 motivos para visitar o Sesc Ipiranga
CPI da Enel quer relatos da população Caravana de Natal da Coca-Cola começa em SCS Conheça o Coworking público do Ipiranga Virada Esportiva no Ipiranga acontece dias 28 e 29 de outubro
CPI da Enel quer relatos da população Caravana de Natal da Coca-Cola começa em SCS Conheça o Coworking público do Ipiranga Virada Esportiva no Ipiranga acontece dias 28 e 29 de outubro
Podcast faz recorte racial da história do Brasil 8 motivos para visitar o Sesc Ipiranga