Acervo de memórias: o Ipiranga nas lentes de Takashi Hiratsuka

Com o poder de congelar o tempo e resgatar memórias, a fotografia é uma das maiores responsáveis pela conexão com o passado, vivido ou não, de cada pessoa. Nas belas imagens registradas pelo japonês Takashi Hiratsuka, observamos o bairro Ipiranga nas décadas de 50 e 60 como nunca reveladas.

O engenheiro mecânico tinha a fotografia como hobby, carregando sua câmera Nikon S2 a tiracolo enquanto viajava pelo Brasil. Oficialmente, ele trabalhava na extinta fábrica de micro tratores Tobatta da Kubota-Tekko do Brasil (anteriormente: Marukyu), localizada em Diadema, parte do ABC Paulista. A empresa não escapou das lentes do antigo funcionário, que fez um vídeo em filme 8mm, eternizando sua passagem por lá.

O riquíssimo e saudoso acervo que deixou de herança traz fotos de diversas partes de São Paulo, em especial o Centro da cidade, além de Curitiba, Pará e Foz do Iguaçu. Registrou momentos cotidianos, mas também fotos de valor documental, como a do Edifício Corumba, em Piracicaba, que desabou em 1964.

Apesar de o acesso às imagens ser fácil, o acesso às informações acerca do autor são uma tarefa mais árdua. Não conseguimos saber muito mais sobre o engenheiro com alma de historiador, que — sem confirmação oficial — teria falecido em 2012.

Quem compartilha as imagens na internet atualmente é o filho dele, Kiyoshi Hiratsuka, que mantém negativos e fotos reveladas bem guardadas, além de digitalizadas. Segundo o IpirangaFeelings apurou com o próprio, o pai trabalhou no Brasil de 1959 até 1967, retornando ao Japão.

No bairro Ipiranga, Takashi circulou pelo Parque da Independência e Museu do Ipiranga com sua câmera, captando imagens informais do dia a dia. Nota-se que ambos os espaços, na época sem grades, funcionavam como uma extensão da rua. Ali vendia-se de tudo: bolas, balões, refrigerante, sorvete americano, pirulito e tudo mais que a criançada adora e os pais hesitam.

Foto: acervo/Takashi Hiratsuka

Indo além da matéria, nas imagens podemos ver a moda, o estilo de vida, as profissões de rua e as demais atividades que permeavam a vida do paulistano na época, formando uma série documental valiosa e importante de dois locais históricos da região e de São Paulo.

Fato curioso se apresenta na imagem de 25 de outubro de 1959: um carrossel em funcionamento no parque, o que é, talvez, um registro único do equipamento. Em outro momento, fotos de 1961 mostram que o gramado do Museu do Ipiranga costumava ser disputado entre as pessoas em busca de descanso no final de semana. Hoje, essa área não é mais ocupada da mesma maneira, com exceção da área verde do parque.

Como é bom ver o coração do Ipiranga tão lindamente eternizado, carregado de um olhar atento e sensível aos pequenos grandes momentos, às pessoas que formavam nosso pequeno mundo. A vida como ela era, vibrando quase da mesma maneira como é hoje, mas com cara de cenário de filme de época. Obrigada pelo legado, Takashi.

Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Foto: acervo/Takashi Hiratsuka
Jardim Botânico, em 1961

Esse conteúdo foi elaborado a base de muita pesquisa e checagem do IpirangaFeelings. Se repassar ou repostar, cite os créditos. Valorize nosso trabalho! Obrigada!

1 comentário

Gostou? Conta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s