Conheça Lily, o galo ‘trans’ do Ipiranga

A rua Doutor Elísio de Castro nunca mais foi a mesma desde a chegada de Lily, o galo ‘trans’ do Ipiranga. A história, um tanto engraçada, você conhece com exclusividade no IpirangaFeelings.

Foi através de três vizinhos que o tal galo começou a pipocar nas mensagens do Instagram. Um flagra dele na calçada foi postado e a especulação começou! Que galo é esse? Onde mora? Com quem? Como vive na metrópole? Se o Globo Repórter não tem respostas, nós temos.

O dono do pet um tanto exótico para os padrões é Pedro Takashi, um jovem de 21 anos que ama os animais, sendo “pai” de gatos, passarinhos e peixes.

Tudo começou por acaso, em fevereiro de 2020. “O amiguinho do meu primo encontrou o pintinho quando voltava pra casa. Olhou ao redor e não viu ninguém, só o bichinho solitário. Aí pegou e levou pra casa”, contou ao IpirangaFeelings.

Como em muitos casos, a mãe do garoto não quis ficar com a ave. Foi repassado ao primo, que diante da mesma situação, entregou Lily nas mãos de Pedro. “Não resisti! Era a coisinha mais fofa do mundo”, disse. “E naquela época eu não fazia ideia de que era um galo!”.

E foi basicamente assim que a galinha virou galo, ganhando o apelido de “galo trans”, de transsexual, dos vizinhos de Pedro. A medida em que o pintinho foi crescendo, começou a passear na calçada, chamando a atenção. Lily sai andando na rua livremente ao lado do dono, ciscando de portão em portão, cavando buracos em canteiros.

Lily é realmente muito bonito. Ou bonite, se a gente for pelo gênero neutro. É enorme, robusto e elegante. Além de ser muito amado e bem cuidado, tem um quê de vaidade: usa lencinho e pinta as unhas vez ou outra. E toma banho!

Ele é meio de lua, sabe? Tem dias que está suave, tem dias que tá doido! Mas é só dar uma caminhada com ele que fica calminho

O temperamento é um tanto forte. O galo odeia coleira e não usa. Também vai pra cima da cachorrada na rua, se lhe convém. “Eu fui tratando ele como um cão, sabe? E não é muito diferente de um. Gosta de ser mimado como qualquer outro e é impressionante sua inteligência! Dá pra ver que ele tem sentimentos e, se deixar, ele só quer dormir no colo”, narra Pedro.

Na casa, ele reina. Ou como diria o dono, “está no topo da hierarquia”. Os gatos não mexem com ele e muito menos os passarinhos, afinal, o tamanho do galo já é uma imposição da espécie. “Não invadindo o espaço dele, ele é de boa”.

A rotina é compartilhada no Instagram de Pedro junto aos gatos, uma pomba e calopsitas, que agora também são comercializadas pelo garoto. Uma delas, inclusive, começou a cantar igual ao galo! Um aprendizado vanguardista, fruto do convívio com o amigo avermelhado.

O despertar de Pedro agora é assim: com o canto do galo, que sobe em suas costas enquanto ainda dorme e solta um sonoro cocoricó. Coisa linda de ver!

Imagem por Mylena Garbin

Agradecimento aos vizinhos José Farias, Mylena Garbin, Mônica Berimbau e Pedro Takashi. 🐓

Gostou? Conta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s