Oma Hedy: cafeteria alemã na casa da vovó

Pensa num cantinho com cara de casa de vovó. Assim é o Café Oma Hedy, uma pequenina e muito charmosa cafeteria alemã de família, que realmente funciona na casa da Oma (avó em alemão) Hedy, ali na Vila Gumercindo, bem pertinho do Alto do Ipiranga.

A família germânica Dudy Müller veio para São Paulo pós Segunda Guerra Mundial e se instalou numa casa térrea de esquina, que poderia passar despercebida por muita gente. As gerações seguintes permanecem até hoje no mesmo imóvel, onde de meados de 1940 a 1986, no anexo do imóvel, funcionou o açougue de Paulino e da Hedy, que aos 91 anos se mantém na ativa.

Desde quando veio do Sul para SP, Hedy faz doces típicos da Alemanha, como bolachas decoradas, cuca e strudel, receita de massa artesanal muito antiga, que ela faz questão de seguir preparando para servir no estabelecimento. É um estica e puxa constante. “Ajuda a alongar minhas costas, porque eu sou torta, né”, contou ela em relação à coluna, com um sorriso fácil e a doçura de uma sobremesa. As filhas Dóris e Tine ajudam a colocar a mão na massa.

Paulino e Hedy em 1970; Ricardo e Vanessa em 2017

As lembranças do antigo açougue, onde hoje é o café

Os arredores, que eram praticamente um vilarejo, foram fundados ainda no tempo de D. Pedro II. As ruas abrigaram famílias alemãs por um bom tempo. Atualmente restam poucas, mas as memórias…essas ficam para sempre. “Muitas lembranças nesse bairro. Tinham várias chácaras aqui. Na época minha avó tinha galinha, coelho e pato no quintal. Meu tio-avô apostava corrida com os cavalos aqui na Cursino“, contou o chef Ricardo Linss, o neto da Oma Hedy. Ele complementa a história:

“A carne e o leite eram entregues com charrete. Minhas tias saiam da escola e passavam ali no prédio dos bancários com um caderninho para anotar pedidos. Depois meu tio levava as encomendas de bicicleta no final do dia”.

Nas vias de terra batida ao redor do açougue do seu Paulino se chegava ainda à mercearia da Dona Luiza, e mais abaixo, em direção da Dom Antonio de Alvarenga, ao sapateiro Sr. Prado. Naquele tempo, já havia feira livre na rua Dom Pedro Silva, que ainda está lá, toda sexta-feira.

Tia de Ricardo, Dóris recorda-se de uma das histórias curiosas e emocionantes que já ouviu. “Outro dia veio um homem aqui e começou a contar umas coisas. Ainda garoto, ele trabalhava na feira da nossa rua e disse que sentava aqui na escada do açougue para descansar. Sempre ganhava um pedaço de queijo do meu pai. Hoje ele é advogado e está fazendo doutorado.

Uma foto, três gerações: mãe, filha e neto

O açougue se foi, mas a família nunca parou com a confeitaria alemã, fazendo doces sob encomenda desde meados de 1990. De olho nas delícias preparadas pela avó e na memória afetiva, Ricardo resolveu resgatar o imóvel, que estava alugado para um outro tipo de ponto comercial, a fim de oferecer a todos um pouquinho do que era produzido “às escondidas”. Em meados de 2014 começou a funcionar, ainda timidamente, o Café & Delikatessen Oma Hedy.

Na hora de reformar o imóvel, em meados de 2017, o empresário formado em gastronomia na França tratou de encontrar itens que fizeram parte do legado dos Dudy Müller. Da antiga casa de carnes ficaram os vidros de leite, que se transformaram em lustres, e a balança vermelha, agora um item decorativo. No banheiro se vê os tijolos, que antigamente eram personalizados com alguns símbolos.

o que tem na cafeteria?

Carro-chefe, o strudel, leve e com açúcar na medida certa, é servido nos sabores maçã, ameixa, pera ou banana, com sorvete ou chantilly fresco, feito na casa (R$ 14,50). Outra opção é a cuca, ou streuselkuchen, também elaborada com variação de frutas.

Ambas vão bem com um café espresso (R$ 4,90) ou coado (R$ 5,50), feito com grãos da Octavio Café. E tem também a versão salgada, nos sabores joelho de porco defumado, frango, palmito e frango com palmito (de R$ 13,50 a R$ 16,50).

Os lanches típicos são feitos com pães artesanais, como o Brezel, e o almoço inclui vários pratos alemães, como o kässpätzle (macarrão com queijo – R$ 21) e salsicha de vitela grelhada com salada de batata (R$ 23). O Ipiranga Feelings provou o Gulasch com Spätzle (R$ 29,00), que seria o macarrão artesanal, feito com sêmola e ovos por Ricardo, acompanhado de molho com tomate, pimentão e carne. Delicioso!

Para beber tem cervejas, refrigerantes orgânicos, chás, cafés e cappuccino. O local é também um empório de produtos alemães. Não hesite a compra dos biscoitinhos artesanais decorados da Oma, nos sabores avelã, castanha do pará ou canela. Derrete na boca!

Numa placa bordada por Hedy na parede se lê, em alemão, a melhor definição de uma aconchegante casa de vó:

“deixe do lado de fora as coisas ruins. Traga para dentro a felicidade. Aqui você está protegido. Aqui você está em casa”. ♥️

▪️O empório e café fica na R. Dom Pedro Silva, 138 – Vila Gumercindo. Abre de terça a sábado, das 10h-19h.

 

1 comentário

Gostou? Conta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s