Noivos correndo no jardim do Museu do Ipiranga

Por dentro de um inspirador casamento no Parque da Independência

O casal Andressa e Thiago Fidélix resolveram atar os laços. O mais inusitado mesmo foi o lugar que escolheram para dizer sim. O casamento no Parque da Independência, localizado no bairro Ipiranga, em São Paulo, foi simples, mas muito inspirador, com direito a pique-nique, luz natural, árvores, vento no cabelo e frio na barriga.

Foi a sete anos atrás que Andressa conheceu o marido, num churrasco entre amigos. Na época, não foram além do “oi” e do “tchau”. Aliás, a despedida se estendeu até mesmo para fora do país, pois no ano seguinte ele foi fazer intercâmbio, enquanto ela seguiu no Brasil. “Passado alguns meses após retornar ao país ele me mandou uma mensagem no Facebook perguntando sobre uma vaga de emprego. Daí pra frente nos falamos todos os dias, percebemos várias coisas em comum – outras nem tanto – e marcamos de nos encontrar. O que era para ser só um encontro se estendeu por três meses, até assumirmos o namoro”, contou Andressa ao Ipiranga Feelings.

De março a outubro de 2017 o casal namorou, até que um passo a mais foi dado: dividir o mesmo teto. Quase um ano depois, em 23 de setembro – chegada da Primavera – Thiago pediu a publicitária em casamento, numa praia de água doce em Belém do Pará. “Foi lindo e emocionante, apesar de não ter sido planejado”. A partir do final daquele ano, começaram a planejar o mini wedding zero convencional, sem o estresse de contato com fornecedores, provas e mais provas de vestidos, aluguel de salão ou serviços caros que movimentam a indústria casamenteira.

Em apenas quatro meses colocaram a mão na massa para o tão esperado dia do sim acontecer da forma mais autêntica possível, tendo um pouco não só da personalidade de cada um, mas das pessoas que torceram por esse amor, como amigas e familiares. “Sem a minha mãe teria sido impossível”, Andressa detalha. “Além de colaborar com vários detalhes, foi ela que costurou meu vestido, fez meu véu e o buquê. Eu desenhei o modelo, comprei os tecidos e cortei. Criamos meu vestido dos sonhos!. Até mesmo nisso houve toques muito genuínos: a roupa não era branca, mas sim nude, com camadas de tule e alguns brilhos no tecido.

A escolha pelo casamento no Parque da Independência, um local tão emblemático, bonito e gratuito, não tem segredos: memória afetiva. “Além de ficar próximo a nossa casa, sempre visitamos o local para relaxar, fazer piquenique ou brincar com nosso sobrinho. Na nossa cabeça seria incrível casar em um lugar que, possivelmente, estará sempre ali“. A melhor parte é que também não houve muita burocracia. “O parque foi muito bacana conosco e não colocou muitos empecilhos. É proibido o uso de balões e bexigas, pendurar coisas em árvores e gerar qualquer dano ao espaço”, disse. Também é essencial manter o lugar limpo, é claro.

A cerimônia aconteceu no Outono, em abril de 2019, num dia solar. As escadarias que dão para a charmosa Casa do Grito, construção de 1844, serviram de altar. Irradiando felicidade, eles estavam entre 50 pessoas queridas, com uma amiga no papel de cerimonialista e outra no papel de organizadora do evento. “Foi a melhor coisa que fizemos, ficou perfeito demais!”.

O gramado próximo à antiga construção foi palco para a festa: um pique-nique cheio de coisas gostosas e caseiras, preparadas pelas mães dos noivos e pela padaria que frequentam. Bolos, pães, antepastos, sucos, vinhos, bem-casados e até paçoquinha Amor fizeram parte do banquete ao ar livre. A decoração também ganhou toques super personalizados, pois eram itens da própria casa de Andressa e Thiago: porta retratos, vasos, jarras, toalhinhas, cachepôs e cestos. As toalhas estendidas no chão também foram criação da mãe da Andressa, que também levou caixotes de feira para compor a cenografia especial.

O Museu do Ipiranga não fugiu do casamento! Acabou sendo pano de fundo para belíssimas fotografias, que marcaram um dos momentos mais lindos não apenas dos Fidélix, mas de todo o bairro. Não é preciso dizer muito, quando as imagens já dizem tudo.

Foi o dia mais feliz da minha vida. Sei que é piegas falar, mas foi muito especial por vários motivos: ver acontecer do jeito que sonhamos, sem cedermos para o mercado de casamentos e para as convenções tradicionais; ver tanta gente que amamos ali, reunida num sábado de manhã para celebrar nossa união; entrar na cerimônia de braços dados com meu pai; usar um vestido feito pela minha mãe. Sou grata a cada momento daquele dia. A celebração do nascimento da nossa família, com a nossa cara.

 

As fotos são de autoria da @ngttmayer e foram cedidas gentilmente ao Ipiranga Feelings  | reprodução proibida.

2 comentários

Gostou? Conta aí!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s